No Banner to display

3
fev 14

Os 5 princípios básicos da Nutrição Funcional

 

E a semana começa a todo vapor com a Lívia Attiê, nutricionista, falando sobre Nutrição Funcional e os princípios básicos. Agora uma vez por mês ela vai dar dicas e falar mais sobre o tema. Vida saudável é palavra de ordem por aqui.

maridonacozinha_hipocrates_liviaattie

A Nutrição funcional  faz a conexão de todos os sistemas fisiológicos do organismo, ela analisa os sinais e sintomas do paciente e os relaciona com o desequilíbio de nutrientes, o que gera sobrecarga no sistema imune e consequentes processos alérgicos “tardios”.

Esses processos causam depressão, obesidade, fibromialgia, artrite, obesidade, osteoporose, doenças auto imunes, déficit de atenção, hiperatividade, cansaço, fadiga, diminuição da performance física, ansiedade, desordens estéticas, entre outras alterações.

Ela é indicada pra qualquer paciente, mesmo que esse paciente não tenha nenhuma doença diagnosticada; um simples sintoma pode e deve ser tratado pelos alimentos funcionais.  O emagrecimento ou adequação da composição corporal são consequência, pois a nutrição funcional objetiva bem estar físico e mental plenos.

A Nutrição  Funcional possui cinco princípios básicos:

1)       Individualidade bioquímica: não somos iguais.

A maioria dos profissionais nos tratam como se fôssemos, mas o nutricionista funcional não. A conexão entre nossos genes, nossa alimentação e fatores ambientais (stress mental e físico,toxinas, exercícios físicos) irão modular nossos genes, determinando quais genes se manifestarão e quais irão silenciar-se. O grande intuito é silenciar os genes determinantes de doenças e manifestar os genes associados à saúde. Grande parte da manifestação dos nossos genes depende de fatores ambientais, e isso está relacionado diretamente com as nossas carências e necessidades nutricionais, por isso da importância de uma anamnese detalhada e criteriosa de cada paciente.

 2)      Tratamento focado na pessoa: A medicina tradicional trata a doença. Já a nutrição funcional trata o paciente, enxerga a pessoa como um todo, como uma teia de interconexões, em que fatores emocionais, ambientais, alimentares, genética, atividade física, hábitos de vida são causadores de sintomas de doenças.


3)       Equilíbrio nutricional e biodisponibilidade de nutrientes: O fato de ingerir o alimento não significa que estamos nutrindo nosso organismo. É preciso certificarmos de que a digestão, metabolização e absorção desse nutriente está adequada.

 

4)      Inter – relações em teia de fatores fisiológicos:  nosso organismo é um só sistema e tudo o que acontece dentro de um sub sistema terá consequências no sistema todo. Não conseguimos isolar e fracionar nosso organismo.

Quando uma parte do nosso corpo adoece, isso irá afetar todo nosso corpo, irá acarretar um sistema dominó, ou seja, sobrecarga em outros órgãos e estes por sua vez, irão alterar outros órgãos e assim por diante. Por exemplo: desequilíbrios nutricionais provocam desequilíbrios hormonais, exposições a certos metais pesados (presentes em alguns ambientes) provocam síndromes neurológicas,  deficiência imunológica causa doenças cardiovasculares.

 

5)      Saúde: saúde não é apenas a ausência de doenças, e sim a sintonia entre os nossos sub sistemas, é o adequado funcionamento do nosso organismo, é uma orquestra perfeita, onde todos os integrantes estão em sintonia, trabalhando em equipe, remando pro mesmo lado.

 

A Nutrição funcional trata a causa, de fato. Ela não é superficial, não mascara os sintomas. Ela quer e ela consegue ,  através do tratamento da causa real, tratamento do fator desencadeante, eliminar sintomas, regredir ou curar doenças, além de prevenir grande parte delas.

A medicina tradicional trata o sintoma e desencadeia uma série de outros sintomas não desejáveis, ela não cura a doença, pois não trata de fato a sua real causa. Ela mascara, ela multiplica doenças. A nutrição funcional  previne e elimina doenças.

O tratamento não é mais caro que a nutrição tradicional, visto que a maioria dos alimentos usados são alimentos de feira, “in natura”, e preparados em casa.

 Se sua compra de supermercado não é composta na maior parte por alimentos, você está na contramão da saúde e da nutrição funcional. Lembra da máxima de Hipócrates né?

 Se sua dispensa está sempre lotada de alimentos que duram meses, significa que você está consumindo grande parte de corantes, conservantes, entre outros disruptores endócrinos (substancias presentes no ambiente e nos alimentos que têm o poder de alterar nosso eixo hormonal e apertar o gatilho de diversas doenças, ou seja, abrir as portas pros genes ruins).

Aí, você deve estar pensando: “mas eu não tenho tempo pra comer, quiçá pra preparar meus alimentos” ou “ eu preciso de tudo pronto, tudo industrializado, prático e rápido”.

Então, eu te pergunto: nutrir seu organismo é perder  tempo? Cuidar de si próprio não é prioridade pra você?” 

Por isso, lembre-se: Toda vez que você come, está alimentando a doença ou se prevenindo delas, a escolha só depende de você. Não há ninguém melhor pra cuidar de você, do que você mesmo, isso é amor próprio, isso ninguém te rouba.

Se você percorrer os mesmos caminhos, sempre chegará aos mesmos lugares, por isso, permita-se… permita-se experimentar novos alimentos, novos sabores, dê essa chance pro seu organismo, ele está gritando por isso… é só você olhar pra si mesmo, escutá-lo e atendê-lo, ele merece!

faixaliviaattie

 
Tags: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado
Campos obrigatórios são marcados com *

  • Copyrigth 2011 - Marido na Cozinha - Todos os direitos reservados.