No Banner to display

20
mar 14

Guia essencial sobre reforma

 

Esse é o terceiro post de uma série de 4 onde contamos em detalhes o que é e como funciona (etapas) de um Projeto de Arquitetura de Interiores.

Reformamos a cozinha (despensa, área de serviço) e banheiro social com a Rosana Miranda Pedrosa e Cristiane Fagundes Lino da D Arquitetura e Urbanismo. Veja o primeiro post AQUI e o segundo post AQUI.

Confere aí alguns outros projetos que a D Arquitetura fez. Ambientes LINDOS!!!

3maridonacozinha_darqeurb_1

3maridonacozinha_darqeurb_2

1fased

Vamos agora falar da última Fase do Projeto, lembrando que o texto em itálico são meus comentários a respeito de como foi a obra aqui em casa, mas todo o texto foi feito pela Rosana.

Pós Entrega do Projeto: Garantir a plena compreensão e utilização das informações de projeto, bem como sua aplicação correta nos trabalhos de campo. Têm-se como documentos gerados:

a) Esclarecimentos sobre a organização e forma de utilização dos documentos de projeto;
b) Reunião no escritório das arquitetas contratadas com os envolvidos no processo da execução (contratante, engenheiro, marceneiro, construtora, gesseiro, pintor, etc.);
c) Acompanhamento às lojas especializadas para escolha dos materiais;
d) Assessoria em obra, durante a execução dos serviços.

Em questão de valores, o Projeto de Arquitetura de Interiores usualmente é cobrado considerando a área construída do ambiente a ser trabalhado, sempre levando-se em conta o serviço a ser executado no local (por exemplo: há casos que o cliente quer somente o detalhamento de móveis e outros, que se faz necessária uma reforma geral no ambiente antes de instalar novo mobiliário).

Outro ponto muito importante para ressaltar diz respeito à assessoria em obra. É importante a presença do profissional autor do projeto de interiores durante a execução dos serviços. Muitas dúvidas da equipe executora surgem durante a obra e, se o profissional não está presente, erros de execução podem ocorrer, gerando custos desnecessários, assim como desperdício de tempo e material.

Aqui é essencial eu explicar que nosso apê é enorme, mas antigo. Não encontramos a planta em nenhuma parte, nem no Cartório… da Prefeitura de Cuiabá a gente nem fala, infelizmente o serviço é péssimo e o arquivo só Deus mesmo… a questão é que refizemos toda a parte hidráulica e elétrica e priorizamos que quando o pessoal quebrasse tudo a arquiteta estivesse presente pra verificar SE alguma mudança seria necessária.

No caso da parede entre a cozinha e a área de serviço foi necessário, após quebrar deslocá-la mais pra direita 5cm. Eu sei, não parece nada, mas o impacto que isso gera em termos de pedras e mobiliário é enorme, por isso a necessidade da arquiteta estar presente e o pessoal conferindo as medidas antes de mandar finalizar pedras, armários e outros.

A presença do profissional também é importante durante a escolha dos acabamentos junto aos fornecedores. Com tantas opções de acabamento no mercado, se o cliente não for bem orientado, o que foi pensado para ser funcional e adequado às necessidades do usuário, acaba sendo “uma pedra no sapato” do cliente depois.

Bom, creio que agora ficou claro porque ter um arquiteto né? Tendo projeto já encontramos esse nível de trabalho imagina sem um profissional pra te assessorar? #oremos #procureumarquiteto

 3maridonacozinha_darqeurb_3

E se você quiser entrar em contato com a D Arquitetura e Urbanismo acesse o site AQUI ou envie um e-mail para atendimento@darqurb.com.br, pode ligar também ok? telefones: 3027-2667 e 9219-2482 

contrateumarquiteto

 
Tags: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado
Campos obrigatórios são marcados com *

  • Copyrigth 2011 - Marido na Cozinha - Todos os direitos reservados.